Follow by Email

sábado, 26 de julho de 2014

Dona ‪#‎LucéliaSantos‬, aqui de maneira nada anonima se expõem um professor do ensino médio de ‪#‎PERNAMBUCO‬, mas gostaria de que vossa me chamasse de ‪#‎BODOCÓ‬. Espero que entenda minha indignação, mas se não entender, fica por isso mesmo, vou tentar usar o minimo de "pernambuquês" para lhe dirigir essas palavras, veja:
1º. Não confunda linguística com a incapacidade de "UM" professor que organiza uma pergunta.
2º. Vossa senhoria falou tanto de educação em seu espetáculo, bom dia, boa tarde, obrigado, etc, etc... Porem percebo que não foi feliz no uso desta...
3º. Já que sua apresentação, do ponto de vista de logística, não foi das melhores, humilde podemos dizer, por que a humildade te escapou no final...?
Tens uma história admirável, meu respeito total, mas levasse uma queda "da foice" (isso é pernambuquês) em meus conceitos...
Termino assim:
Lucélia santos um nome brilhante
Que fez da arte amor verdadeiro
Perdoe o poeta matuto brejeiro
Talvez o meu verso a tu não encante
Ele é simples porem cativante
Mas aqui ele veio para criticar
Meu visse, meu "ôxe", meu pronunciar
Pernambuquês, Sertão de tez nordestino
Num vai ser um sulista ou sudestino
De cara risonha querer me humilhar

Se tinha intenção? acredito que não
Espero em Deus seja essa a verdade
Meu lugar é singelo mais tem qualidade
Que Dez dos São Paulo conseguir não vão
Meu povo tem fé e tem oração
Meu povo é matuto pode acreditar
Nossa fala é brilhante e cheia de rima
É obra de Deus, mais pura obra-prima
Caatinga, Agreste a Mata e o Mar