Follow by Email

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Nesse país de Meu Cristo


De gente tão cordial


Onde a moeda é o real


E futebol é bem visto


O nordestino é um cisto


Doença pra eliminar


Então é melhor gastar


Com estadio e putaria


Do que com a agonia


Dessa Seca de Torar
Meu Senhor que pai dos homi

Desse sertão todo laxado


Não um pobre coitado


Mas estou passando fome


Mas minha fome não se come


Em pratos de porcelana


É uma fome "Cabana"


È uma fome insana


Fome talvez cangaceira

Fome talvez "Canudeira"


É fome de contestado

Vontade de dignidade


De ter a capacidade


De poder, poder fazer


E quem sabe então comer...


Dessa tal humanidade....