Follow by Email

domingo, 29 de novembro de 2009

sábado, 28 de novembro de 2009

AO 20 DE NOVEMBRO

NUM SILENCIO FELIZ SE ENCONTRAVA
NOSSA CASA E A TERRA, NOSSA TERRA
E OS GRITOS COM O SILEICIO ENCERRA
E A PAZ QUE REINAVA, ONDE ESTAVA
OLORUM DO ALTO OBSERVAVA
O COMERÇO CATIVEIRO, ESCRAVIDÃO
FUI LEVADO ARRASTADO COMO CÃO
NUM PORÃO DE NAVIO EU FUI JOGADO
FIZ ESCALA DE FOME, MALTRATADO
UM LAMENTO NEGREIRO CORAÇÃO


QUANDO VI NOVAMENTE A LUZ DO DIA
DEPAREI-ME COM UMA TERRA BELA LINDA
MAS POREM MINHA FELICIDADE FINDA
QUANDO UM CHICOTE FERIU A CALAMARIA
E UM GRITO SONORO SE EXPANDIA
NÃO BASTAVA TANTA INGRATIDÃO
LAMENTEI OUTRA VEZ, FIZ ORAÇÃO
OXALÁ LIVRAI-ME DESSE MAL
FUI VENDIDO COM OUTRO ANIMAL
ERA DADA A VEERMENTE ESCRAVIDÃO


HUMILHADO E CASTIGADO SEMPRE FUI
ME ENTREGADO A CAPRICHOS DO SENHOR
CORTAR CANA, MOER, SER PESCADOR
TODO TIPO DE TRABALHO ME ATRIBUI
E O MOMENTO FELIZ SE CONSTITUI
DAS HORAS QUE PASSO COM OS IRMÃOS
NA SENZALA FAZENDO EXALTAÇÃO
AOS DEUSES DE NOSSA ETERNA CRENÇA
TEMOS FORÇA FIEL NESSA PRESENÇA
NESSA TERRA DE ZUMBI E FABIÃO


NOSSA LUTA COMEÇA, NOS CANSAMOS
DOS MALTRATOS SOFRIDOS NESSA CASA
NOSSO PEITO QUENTE COMO BRASA
LIBERDADE É O QUE BUSCAMOS
CONSTRUIMOS DE VEZ NOSSOS MOCAMBOS
QUIOMBOLAS SENTIDOS SALVAÇÃO
ES REFUGIO PALMARES DA NAÇÃO
GANGA ZUMBA LIDERA A LIBERDADE
E DANDARA GUERREIRA DE VERDADE
DESSA TERRA DE ZUMBI E FABIÃO


NOSSA LUTA NÃO TERMINA AQUI
É BATALHA PERPETUA INFELISMENTE
E ENQUANTO O PODER TIVER AUSENTE
NOSSO GRITO TERÁ QUE SE OUVI
CONVIDAMOS VOCE A APLAUDI
SE CONSIENCIA TEM ESSA NAÇÃO
PRECONCEITO NÃO TEM EXPLICAÇÃO
BRASILEIRO É POVO MISTURADO
E DE RAÇAS TEM MULTIPILICADO
DESCENDETE DE ZUMBI E FABIÃO

terça-feira, 10 de novembro de 2009

sinto falta dos versos
meus versos em fim

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

http://www.youtube.com/watch?v=dkw-MoANt8Q

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Um quadrão para Neruda

Me explique as loucuras desse mundo
Me responda em grau e qualidade
Me demonstre o erro a verdade
E desfaça acertos la do fundo
Mais não diga que sou um vagabundo
Por querer fazer indagação
Anarquismo talvez revolução
Neste pouco que tenho lhe falado
Isso é um quadrão bem perguntado
Quero ver responder este quadrão

Pois me diga o porque da arritmia
Nos processos dos sonhos indigestos
Os disfarces que trazem alguns gestos
Recheados com tal melancolia
Provocando no povo agonia
Nos problemas gerais dessa nação
Fome peste prefeito maldição
Acultura banal tem se assentado
Isso é um quadrão bem perguntado
Quero ver responder este quadrão

Nerudiando poemas de Xudu
Me apresento a la clarissiano
Imaginários cordéis Limerianos
Bandeiriano perguntas de Lulu
Cabraliano se fez mandacaru
Bilac’anos os versos de Cancão
Rogacianos Machados Fabião
E tem verso melhor mais preparado?
Isso é um quadrão bem perguntado
Quero ver responder este quadrão

Saudade

A saudade é como o por do sol
Vai saindo devagar
Querendo se esconder
E o que era brilho e luz
Perde a cor e vira escuro
O sujeito que a conduz
Nada faz alem de ver
Tudo aquilo tomar conta
Vê a alma ficar tonta
Perdendo o bem querer
Chora lamenta e espera
Outro dia amanhecê
Trazendo só esperança
De outra vez na lembrança
O sol se reesconder
Tenho saudade de painha
Tenho saudade de mainha
Saudade do meu amor
Saudade daquela casa
Que eu brincava na infância
E tanta saudade tanta
Que não consigo entender
Prefiro somente viver
Esse tormento que vivo
Pois assim alto lhe digo...
Oh saudade de você!!!!

acolhida

sente no banco seu moço
bem no pé dessa parede
escute meu verso singelo
feito balanço de rede
beba da fonte poetica
pode matar tua sede