Follow by Email

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

LUZ MENINA

Que os ventos mouros te tragam
Novamente aos braços meus
E que eu veja em labios teus
Esses risos que afagam

Que as tristezas apagam
És um presente de Deus
Eu me sinto o basileu
Que de Luz e brilho te enfeitam

Menina Luz tao brilhante
Vesta de modo encantante
Tú és presente pra mim

Faísca que a vida garante
E Zeus em teus braços infante
Para sempre ate o fim

Um comentário:

  1. Ninguém nunca se vai
    ningué nunca se foi sempre se está presente implicitamente ...
    o medo neutraliza nossas melhores qualidades...
    ventos tempos tudo retóric do possivel pensado impossivel...kkkk

    ResponderExcluir